sexta-feira, 14 de junho de 2013

Dodô, preso que seria resgatado na Niterói-Manilha, sabia da ação e brigou para ficar na porta de carro da Seap

Carolina Heringer

A Polícia Civil já tem certeza de que a ação frustrada de 20 bandidos, na última quarta-feira, na Niterói-Manilha, tinha o objetivo de resgatar o traficante Lindomar de Oliveira Brant, o Dodô, de 38 anos, que mesmo preso desde 2004 continua a comandar o tráfico de drogas na favela Reta Velha, em Itaboraí. Em depoimento à polícia, os presos que estavam no veículo da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) relataram que o criminoso brigou e insistiu para sentar na porta do carro. A tentativa de resgate terminou com um agente penitenciário morto.
- Esse é o detalhe mais importante. Dá certeza de que o objetivo era resgatar o Dodô. Ele sabia da ação e tinha motivos de sobra para fugir, porque foi condenado recentemente a mais 41 anos de prisão - afirmou o delegado Wellington Pereira Vieira, da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, responsável pelas investigações do ataque.
Ainda de acordo com o delegado, Dodô é um dos homens fortes da maior facção criminosa do Rio e já foi condenado a mais de 80 anos de prisão por crimes como tráfico de drogas, formação de quadrilha e roubo.
Vieira trabalha com a hipótese de que o resgate do criminoso tenha sido executado por outros traficantes da Reta Velha. Robson Luiz Monteiro Martins, o Canela de Vidro, e Bruno Pacheco Lima, o Boldinho - segundo e terceiro homens, respectivamente, na hierarquia do tráfico na favela - são dois dos suspeitos da ação.
Aqueles que forem responsabilizados pelo ataque serão indiciados por 12 tentativas de homicídio, um homicídio e facilitação de fuga. Nos próximos dias, testemunhas serão ouvidas.
A ação
Com toucas, coletes à prova de balas e fuzis, 20 bandidos armaram uma falsa blitz para abordarem o furgão da Seap que seguia, após uma audiência no Fórum de Araruama, para Bangu. Os três agentes penitenciários que acopanhavam os 11 detentos reagiram, e os criminosos desistiram do resgate. O delegado da DH Niterói e São Gonçalo acredita que a reação inesperada tenha sido o motivo da desistência, porque os bandidos achavam que "venceriam na quantidade". Na troca de tiros, o agente Antônio Pereira, de 47 anos, foi baleado e morreu. Um dos presos também ficou ferido, mas apenas de raspão. O agente penitenciário será velado hoje, às 9h30m, na capela 5 do cemitério Jardim da Saudade, em Paciência.
O delegado vai pedir a transferência do traficante Dodô para o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD). Ele está preso em Bangu 3.


Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/dodo-preso-que-seria-resgatado-na-niteroi-manilha-sabia-da-acao-brigou-para-ficar-na-porta-de-carro-da-seap-8684718.html#ixzz2WCeb57tO



Nenhum comentário:

Postar um comentário