Segundo o MPE, as denúncias chegaram à promotoria de Justiça em abril deste e davam conta de inúmeras irregularidades que vinham ocorrendo no presídio de Curvelo, sob o comando e conivência dos diretores e do agente de segurança. Por isso, os promotores de Justiça Cláudio de Paula Costa, Luciana Gonçalves Bretas e Valéria Fernandes Andrade instauraram um Inquérito Civil.
 
Mas para garantir as investigações e uma instrução processual isenta, os representantes do MPE entraram com uma ação na Justiça pedido o afastamento de Julles Harry dos Santos Almeida, Leandro Antônio Campos e Daniel Sampaio Torres, a qual foi deferida pela juíza Mariani Siani. O julgamento aconteceu na última segunda-feira (11) e o juiz deferiu o pedido.
 
Ainda conforme o MPE, um ex-diretor-geral do presídio de Curvelo já havia sido afastado no ano passado. À época ele foi substituído pelo diretor-geral que acaba de ter o seu afastamento decretado pela Justiça. Neste caso, o diretor foi acusado de abuso de autoridade por agressão a detentos, atentado a direitos e garantias legais assegurados ao exercício profissional por violar prerrogativa funcional de advogados, omissão de socorro a agente penitenciário, além de inobservância do procedimento operacional padrão por violar normas procedimentais da Secretaria de Estado de Defesa Social e práticas reiteradas de assédio moral contra servidores do estabelecimento.