sábado, 27 de julho de 2013

Agente Penitenciário morre em troca de tiros

Delegado espera que suposto miliciano



baleado ajude polícia do Rio


Toni Ângelo está no CTI do Hospital Oeste D'Or, em Campo Grande.
PM reforçou o policiamento no hospital e nas ruas próximas.

Alba Valéria MendonçaDo G1 Rio
O cartaz de procurado de Toni Ângelo (Foto: Reprodução da internet)O cartaz de procurado de Toni Ângelo
(Foto: Reprodução da internet)
O delegado da Divisão de Homicídios, Rivaldo Barbosa, disse neste sábado (27) que espera que o acusado de pertencer a uma milícia Toni Ângelo Souza Aguiar, que está internado no CTI do Hospital Oeste D'Or, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, colabore com as investigações da polícia aderindo ao programa de delação premiada.
Toni levou um tiro no rosto durante uma desavença na boate Baco Evolution, em Campo Grande na madrugada deste sábado, com o agente penitenciário Anderson Terra dos Santos, que morreu no local.

"Ele levou um tiro no rosto e está com a bala alojada próximo de uma vértebra do pescoço. Por enquanto está sedado, mas não corre risco de morrer. Vamos esperar ele se recuperar e esperamos que ele  contribua com a polícia para esclarecer outros cirmes. Toni tem quase duas dezenas de homicídios que são investigados pela DH, além de outros crimes investigados por outras delegacias", disse Barbosa, que vai pedir as imagens das câmeras da boate.
  Segundo o delegado, a prisão de Toni Ângelo representa um grande sucesso para a segurança pública. De acordo com a polícia, ele chefia a mais violenta milícia da Zona Oeste.

O comandante do 40º BPM (Campo Grande), tenente-coronel Gilson Chagas, disse que o policiamento foi reforçado em todo o quarteirão e nos acessos ao hospital. Somente policiais autorizados podem circular pelo andar onde Toni está internado.

"Esse vai ser o padrão, enquanto ele estiver internado em Campo Grande. Vamos  fiscalizar os carros  que passarem por aqui e vamos tomar todas as providências para evitar que comparsas queiram resgatá-lo", disse o comandante, que conta com o apoio de policiais de outros batalhões.

Tão logo seja possível, de acordo com nota da Secretaria de Segurança Pública, ele deverá ser  transferido para um presídio de segurança máxima fora do Rio.
Agente penitenciário morreu no interior da boate após troca de tiros com o miliciano Toni Ângelo, que levou um tiro no rosto (Foto: Alba Valéria Mendonça/ G1)O agente penitenciário morreu no interior da boate
Baco Evolution, após troca de tiros com o miliciano
Toni Ângelo, baleado no rosto (Foto: Alba Valéria
Mendonça/ G1)
Toni Ângelo foi levado por comparsas para o Hospital Oeste D´Or, antigo Joari, onde foi localizado pela polícia antes mesmo de ser feito seu registro de internação, segundo o comandante do 40º BPM.
A Secretaria de Segurança informou ainda que aguarda sua total recuperção para que "possam ser colhidos os esclarecimentos que ele deve a sociedade fluminense".  A rede D'Or ainda não divulgou informações sobre o estado de saúde de Toni Ângelo.
Acerto de contas
Segundo o tenente-coronel Gilson Chagas, do 40º BPM, por volta das 4h deste sábado, os policiais foram acionados pelo190 para um tiroteio num bar em Campo Grande. Quando lá chegaram, souberam que o ferido seria Toni Ângelo, que já tinha sido levado para um hospital. Os policiais percorreram os hospitais da região à procura de um homem baleado no rosto e o encontraram no Oeste D´Or.
Ainda segundo o tenente-coronel, na briga no bar morreu o agente penitenciário Anderson Terra dos Santos, de 28 anos, filho do ex-PM Júlio César Oliveira dos Santos, que ainda de acordo com o tenente-coronel estaria preso na Penitenciária Federal de Catanduva, de segurança máxima, por envolvimento com a milícia. Toni Ângelo teria ido lá para acertar contas com o Anderson, de acordo com o tenente-coronel.
A Polícia Militar informou que o comandante-geral da corporação, coronel Erir Ribeiro Costa Filho, determinou que o comandante do 14º BPM,  tenente-coronel Sarmento, apresente na Delegacia de Homicidios o soldado da PM que se encontrava no bar onde houve a troca de tiros. Ele seria parente de agente penitenciário morto.
Toni Ângelo é procurado desde 2009 por uma série de processos por homicídio e extorsão. Segundo a polícia, ele seria integrante do grupo de milicianos conhecido por Liga da Justiça.
É grande o aparato policial em frente ao hospital, com veículos  do 40º BPM, 27º BPM (Santa Cruz), da 35ª DP (Campo  Grande), da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil,  e da DH. O de
Carros da polícia em frente ao hospital onde está Toni Ângelo (Foto: Alba Valéria Mendonça/G1)Carros da polícia em frente ao hospital onde está Toni Ângelo (Foto: Alba Valéria Mendonça/G1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário