quarta-feira, 17 de julho de 2013

Caso o governo não negocie até final da próxima semana, Sistema Prisional e Policiais poderão paralisar atividades em São Paulo.



Atualizada 16/07/2013, às 14h11
__________________________




Após a Assembleia Unificada da Segurança Pública, realizada em São Paulo no dia 4 de julho, por agentes de segurança penitenciária, policiais civis e associações de policiais militares da reserva, uma pauta unificada das categorias foi entregue ao governador Geraldo Alckmin, em 5/6, pelo deputado federal Paulinho da Força.

Desde que a pauta foi entregue, o governo não chamou os representantes que formam a comissão das categorias para negociação e nem apresentou qualquer proposta aos servidores.

  Diretores do sindasp-SP durante a Assembleia Geral Unificada                                                                             

MANIFESTAÇÃO DIA 23: De acordo com o presidente do Sindasp-SP, Daniel Grandolfo, a Assembleia Geral Unificada da Segurança Pública é permanente e, caso até a próxima semana Alckmin não agende uma audiência com a comissão, haverá uma manifestação no dia 23/07 com passeta até o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

NOVA ASSEMBLEIA UNIFICADA: Caso o governo não se manifeste, no dia 6 de agosto haverá a continuidade da Assembleia Geral Unificada e Permanente. Neste dia o movimento poderá decretar paralisação ou até mesmo greve geral unificada.

Grandolfo destacou a importância da participação da categoria: “Mesmo depois de várias passeatas e ofícios encaminhados ao governo, não fomos chamados para negociar e nos foi apresentado nenhuma proposta. Não queremos ir ao Palácio dos Bandeirantes novamente para sair de mãos vazias, queremos ouvir uma proposta do governo. Estamos em Assembleia Geral Extraordinária Permanente, a partir de hoje, todos estão convocados para terça-feira, dia 23 de julho, às 14h, no Parque do Povo, região do Jóquei Clube, Cidade Jardim, a comparecerem em grande número. Que cada um traga mais dois colegas para fazermos uma enorme manifestação rumo ao Palácio dos Bandeirantes. Contamos com a presença maciça da categoria, bem como parentes e amigos. Divulgue em sua unidade na capital, compartilhe no facebook, vamos para o tudo ou nada antes de uma possível paralisação”.

O Sindasp-SP pede aos seus filiados que aguardem até a data acima citada para uma postura do sindicato e das outras categorias da segurança pública. Assim que surgir qualquer definição ou novas informações, publicaremos no site do Sindasp-SP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário