sexta-feira, 5 de julho de 2013

MG – Interferência política estaria garantindo privilégios aos presos durante a Operação Violência Invisível


MG – Interferência política estaria garantindo privilégios aos presos durante a Operação Violência Invisível
Os políticos e advogados presos durante a Operação Violência Invisível estariam tendo tratamento diferenciado e privilegiado no Presídio Regional de Montes Claros. O governador Antônio Anastasia e o subsecretário de Administração Prisional Murilo Andrade de Carvalho teriam ligado para o presídio e determinado que não fossem usadas algemas nas pessoas presas durante a operação,nos seus deslocamentos dentro do presídio e durante o transporte delas para prestar depoimentos fora do xadrez.
Hoje, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais negou a liberdade do ex-prefeito de Janaúba, o ex-delegado da Polícia Civil José Benedito (PT), preso durante a operação.
Por inexistência de cela especial e de sala de Estado Maior em Montes Claros, o advogado Sebastião Vieira está em regime de prisão domiciliar.
Investigadores que atuam no caso estranham o fato de até o momento os advogados do ex-prefeito de Pirapora Warmilon Fonseca Braga (foto) e do ex-prefeito de Montes Claros Luiz Tadeu Leite não terem ingressado com pedido de Habeas Corpus para ambos.
De acordo com os investigadores, a estratégia dos advogados é aproveitar a “porta da esperança” representada pelo plantão de final de semana no TJMG para ingressar com os HCs. Normalmente o nome do desembargador plantonista é divulgado na quarta-feira, mas até o início da noite desta quinta-feira ainda não havia sido divulgado.
Extraoficialmente, entretanto, os advogados já saberiam o nome do desembargador plantonista que seria designado, Nélson Messias, com o qual teriam mais trânsito.
Hoje à tarde, o ex-prefeito Warmilon Braga, que ficou rico durante sua passagem pela Prefeitura de Lagoa dos Patos e milionário após sua passagem pela Prefeitura de Pirapora se recusou a entrar na viatura do Grupo de Transporte do Presídio Regional de Montes Claros que o levaria à sede da Delegacia da Polícia Federal, onde prestaria depoimento. Alegou que só o faria após a chegada de seus advogados.
A manha do político não surtiu resultado. Ante a recusa, a Polícia Federal destacou uma equipe que foi ao Presídio e conduziu o político à delegacia, onde chegou por volta das 18 horas, vestindo uniforme vermelho da SUAPI (Subsecretaria de Administração Prisional) e chinelos pretos tipo havaianas.


Leia mais... MG - Interferência política estaria garantindo privilégios aos presos durante a Operação Violência Invisível | Jornal Montes Claros http://jornalmontesclaros.com/2013/07/05/mg-interferencia-politica-estaria-garantindo-privilegios-aos-presos-durante-a-operacao-violencia-invisivel.html#ixzz2YBvjZ6mg
Follow us: @jornalmoc on Twitter | jornalmoc on Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário