quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Agentes Prisionais em greve barram entrada de presos em cadeia de GO.


Agentes prisionais em greve se recusam a receber presos nos complexos prisionais em Goiás desde a noite de segunda-feira (19). Durante a madrugada, ao menos 60 presos que deveriam ser encarcerados na Casa de Prisão Provisória de Aparecida de Goiânia não foram recebidos pelos agentes e tiveram de ser levados de volta às delegacias.
A paralisação não tem prazo para acabar, mas uma reunião entre representantes dos agentes prisionais e do governo está marcada para a manhã desta terça-feira (20). Eles reivindicam melhores condições de trabalho e reajuste salarial. Segundo o presidente da Associação dos Servidores do Sistema Prisional, Jorimar Bastos, a greve deve continuar. “Enquanto o estado não se posicionar de forma objetiva, nós vamos manter a paralisação”, afirma.
Os agentes prisionais em greve prometem paralisar outros serviços, como por exemplo, a visita de parentes, médicos e advogados às penitenciárias. Além disso, os agentes que fazem escoltas dos presos aos Fóruns estarão paralisados, o que deve impossibilitar a realização de diversas audiências judiciais.
O piso salarial dos agentes penitenciários é de R$ 2,5 mil. Segundo os grevistas, em todo o estado trabalham cerca de 1,2 mil agentes para vigiar 14 mil presos. Para eles, o número mínimo de agentes necessários seria de 4 mil servidores.
Segundo o superintendente de Segurança Penitenciária de Goiás, João Carvalho Coutinho Junior, o governo analisa as reivindicações, mas não dá garantias aos agentes. “O estado quer garantir essa condição de trabalho para o servidor penitenciário e a mesa de negociação está aberta. Mas tem aquela condição da folha de pagamento, de não poder ultrapassar um certo limite”, afirma o superintendente.
Fonte:G1-GO.
Agentes prisionais em greve barram entrara de presos em complexos prisionais, em Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)Agentes prisionais em greve barram entrada de presos na CPP (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Nenhum comentário:

Postar um comentário