sexta-feira, 2 de agosto de 2013

GREVES E PARALISAÇÕES DO AGENTES PRISIONAIS PELO BRASIL.

Agentes penitenciários paralisam atividades na Bahia.

01/08/2013 14h26 - Atualizado em 02/08/2013 10h13


Ação é realizada em Lauro de Freitas e Itabuna.
Seap confirma atraso no salário e diz que irá regularizar situação.

Do G1 BA
O Sindicato dos Agentes Disciplinares Penitenciáros do Estado da Bahia (Sindap) diz que a categoria faz uma paralisação em dois municípios do estado nesta quinta-feira (1º). O diretor sindical Antônio Reis Ferreira afirma que somente os serviços essenciais estão sendo realizados por 30% dos funcionários das penitenciárias de Lauro de Freitas e Itabuna.
G1 errou ao afirmar que os municípios de SerrinhaJuazeiro e Valença também tiveram as atividades suspensas. Segundo o sindicato, nesses municípios a reivindicação é pela realização de uma nova licitação para a administração das unidades prisionais.
"A gente está reivindicando pagamento salarial, com atraso há dois meses. Estão parados agentes penitenciários, pessoal da área técnica, pessoal da cozinha, médicos, advogados e limpeza. Só [trabalha] o pessoal que serve o café dos internos mesmo, a visitação está suspensa, e se tiver emergência, a ambulância sai", relata Antônio.
No Conjunto Penal de Lauro de Freitas, no bairro Vida Nova, a mobilização começou quarta-feira (31), às 5h30. "Aguardamos o contato do secretário ou governo. Nossas condições de trabalho são as piores, não temos direito ao alojamento para horário de almoço, não tem água potável, é de torneira, o fardamento deveria ser de seis em seis meses e há dois anos não é repassado. Se não tivermos um retorno, o movimento será fortalecido e vamos deflagrar greve", diz Antônio.
Segundo o Sindap Bahia, o Conjunto Penal de Lauro de Freitas abriga 432 internos, detidos por diversos crimes, e entre eles estão pessoas consideradas de alta periculosidade.
Em nota oficial, a Seap diz que o " foi feito o repasse de abril à empresa cogestora das unidades prisionais de Lauro de Freitas e Itabuna, estando em aberto o pagamento dos meses de maio e junho. A equipe da Seap está enviando todos os esforços para regularizar a situação, estando previsto o repasse de uma parte deste pagamento até o final do dia de hoje (01/08). Apesar disso, a empresa prestadora do serviço fez o pagamento de todos os agentes penitenciários até o mês de junho. Em atraso estão apenas o salário de junho do corpo técnico (36 profissionais de um total de 420 integrantes do quadro funcional), o que deverá estar sendo regularizado até amanhã (02)".


Greve de agentes penitenciários suspende visita a presos em MT.

Edição do dia 02/08/2013
02/08/2013 08h12 - Atualizado em 02/08/2013 08h13


A superlotação é uma das reclamações dos agentes penitenciários. Eles também reclamam do número insuficiente de profissionais.

Eunice RamosCuiabá, MT
Em Mato Grosso, uma greve dos agentes penitenciários suspendeu as visitas aos presos.
A Penitenciária Central, a maior de Mato Grosso, tem capacidade para 850 detentos, mas abriga hoje cerca de dois mil. A superlotação é uma das reclamações dos agentes penitenciários.
Eles também reclamam do número insuficiente de profissionais. São 2,5 mil para controlar 12 mil presos no estado. A categoria reivindica ainda mais segurança nas unidades e aumento salarial.
Esta semana, por causa da suspensão das visitas, houve confusão entre os grevistas e os parentes dos presos. A Justiça determinou o fim da paralisação, mesmo assim, a categoria decidiu manter a greve. A Secretaria de Justiça e direitos humanos diz que já atendeu a maioria das reivindicações e que vai contratar agentes temporários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário