sexta-feira, 6 de setembro de 2013

DIRETOR DA DRUMOND SE DESPEDE DO SISTEMA PRISIONAL

A Família Drumond

Eu não podia imaginar as coisas que me aconteceriam, o início foi incerto, confuso e incomum, onde todos os estranhos fariam parte da minha vida, onde todos os cantos teriam histórias escondidas. Aqui passei os melhores anos de minha vida, fiz amigos, muitos dos quais, me acompanharão para sempre. Por isso tenho que comemorar!

Esse é um momento especial! É hora de olhar para trás e ver por tudo o que já passei. Sem dúvida, muitas tristezas e conflitos mas, felizmente, por inúmeros bons momentos, de alegria, de vitórias e de cumplicidade.

Devo esquecer aqueles que me impuseram obstáculos infundados e agradecer àqueles que me impulsionaram adiante. É hora, mais do que nunca, de valorizar as amizades e os conhecimentos adquiridos aqui.

Hoje me despeço de vocês, com a maior certeza que iremos continuar a nossa amizade.
Essa despedida, me trouxe a certeza do quanto vocês, são especiais.

Glauber José Lopes
Diretor Administrativo

--------------------------------------


Comentário do Henrique Corleone abaixo:

Você, Glauber, ex-diretor da Drumond tem o meu reconhecimento porque conduziu a sua vida no sistema de uma forma que eu observo como muito justa e digna. 

É sabido que você, após passar por esta experiência, vai rever pessoas e receber cumprimentos de amigos que deixou no sistema, mas nada disto seria possível se você utilizasse de seu cargo para fazer o companheiro sofrer no osso a dor da perseguição, cortasse direitos, oprimisse ou obrigasse agentes a, por exemplo, trabalharem a noite toda sem acesso ao descanso que lhes é resguardado, se ainda, cortasse direitos dos agentes do pavilhão, como deixá-los sem sentar-se ou alimentar em tempo razoável conforme descrito em lei.

Eu sempre penso que devemos tentar agir de maneira que engrandeça nosso nome pois, a vergonha é algo que mancha nossa reputação, devemos ser justos em nossas posições. E, você soube ser isto, assim como também o Gauberte, ex-Drumond, sempre foram serenos para resolver os problemas e também grandes apaziguadores, enquanto existem outros que querem utilizar-se do poder para servir a interesses próprios.


Estas coisas que eu falo, eu gostaria de não dizê-las, porém, me vejo em uma missão maior do que a pessoa do Corleone, e portanto, eis que se concretiza como uma obrigação de minha parte, haja vista que existem unidades onde impera o feudalismo em suas formas. 

Eu quero dizer que hoje o Sistema perde um grande homem, mas que, certamente sabe que, o dia que voltar, encontrará muitos amigos. Parabéns, pois sua passagem no sistema foi construtiva. Que Deus lhe abençoe, sucesso e paz junto à sua Digníssima família.

Um comentário:

  1. Muito obrigado pelo seu comentário.
    Att, Glauber José Lopes

    ResponderExcluir