quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Quadrilha que atuava no tráfico no Norte de Minas é presa em operação

Foram cumpridos 30 mandados de busca e apreensão e 18 de prisão.
Segundo Polícia, grupo organizado tinha ramificações em outros estados.


Michelly Oda
Do G1 Grande Minas

Parte dos presos da operação "Sem Limites" (Foto: Michelly Oda / G1)Parte dos presos da operação Sem Limites (Foto: Michelly Oda / G1)












A Polícia Civil realizou, na manhã desta quinta-feira (26), a operação “Sem Limites” de combate ao tráfico de drogas. Foram cumpridos 31 mandados de busca e apreensão e 18 de prisão em Minas Gerais, São Paulo e Paraná. Uma organização criminosa, que tinha Montes Claros(MG) como ponto estratégico, foi desarticulada.
Policiais cumprem mandados no bairro Santos Reis (Foto: Michelly Oda / G1)Policiais cumprem mandados no bairro Santos
Reis (Foto: Michelly Oda / G1)
O delegado Jurandir Rodrigues explica que a investigação durou dois anos e que, após o monitoramento de um traficante de Montes Claros, foi possível descobir que ele era chefiado por dois homens que estão presos na Paraíba. Posteriormente, a polícia levantou o local de origem da droga e mais um líder foi localizado, em Londrina, no Paraná.

Segundo o delegado, a quadrilha traficava maconha, crack e cocaína e contava com a participação de mais de 60 pessoas, em Minas Gerais, Paraíba, Bahia, Paraná e São Paulo.
“Os investigados tinham seus gerentes; em São Paulo, por exemplo, haviam pessoas responsáveis por hospedar quem iria buscar as drogas, e outras que tinha a função de adquiri-las. Em Montes Claros, haviam integrantes que faziam a gestão, distribuição, arrecadação e lavagem do dinheiro do tráfico”, afirma Rodrigues.
Superintendente de delegados concederam coletiva para a imprensa  (Foto: Michelly Oda / G1)Superintendente de delegados concederam coletiva
para a imprensa (Foto: Michelly Oda / G1)
De acordo com a Polícia Civil, a droga era comercializada em várias cidades do Norte de Minas e em outros estados. As substâncias eram  transportadas em ônibus coletivos e veículos com cargas de alto valor.
“Os criminosos costumavam trocar de residência e de veículos com frequência, além disso, mudavam também o local de armazenamento da droga,” afirma o delegado.

Um dos chefes da organização criminosa é Igor Luiz Soares, detido em Londrina. Ele morava na cidade há quase seis meses e transitava por Minas Gerais e pelo Paraná com frequência. Mas como responde por processos no Norte de Minas, inclusive homicídios, teria optado por morar em outro estado, com o objetivo de ter sua integridade preservada.
Outro chefe da quadrilha, segundo a Polícia Civil, é George Botelho, preso em Montes Claros. Na cidade, ele contava o tráfico com a ajuda de Fábio Barbosa de Oliveira, de 25 anos, detido no bairro Alterosa, e Fagner Borges dos Santos, que fugiu da polícia durante o cumprimento do mandado no bairro Cidade Nova.
Cães farejadores foram utilizados durante operação (Foto: Michelly Oda / G1)Um helicóptero e cães farejadores foram utilizados
durante operação (Foto: Michelly Oda / G1)
Segundo as investigações, Fábio e Fagner davam suporte para George e atuavam na administração, aquisição, venda e gerenciamento das drogas.

O superintendente de investigação da Polícia Civil, Jeferson Botelho Pereira, explica que a repressão ao tráfico, influencia diretamente em outros crimes.
“A operação é de extrema importância para sociedade ordeira. Colocamos à disposição da Justiça pessoas responsáveis pelo crime organizado e por crimes violentos, foi um golpe duro e certeiro da Polícia Civil contra essa quadrilha”, diz.

Os presos podem responder por tráfico de drogas, associação para o tráfico e em alguns casos, porte ilegal de armas.
FONTE: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário