quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Escutas telefônicas revelam preso 




comandando crimes em Alagoas

Preso escolhe carros e dá ordens aos parceiros que estão fora da cadeia. 
Na negociação por telefone, eles falam das ações criminosas e de assalto.

Do G1 AL, com informações da TV Gazeta
A reportagem da TV Gazeta teve acesso a gravações telefônicas que mostram, com exclusividade, conversas de um preso do Sistema Prisional de Alagoas articulando crimes na capital. Entre as ações criminosas estão roubo a carros e estabelecimentos comerciais. O juiz de Execuções Penais, José Braga Neto, disse que não teve acesso aos áudios das ligações, mas aponta falhas no sistema prisional.

Em uma das conversas, um presidiário conhecido como “Vaqueirinho” recebe a ligação de um comparsa, identificado como “Tripa”, eles conversam sobre roubo de carros. No diálogo, Tripa diz a relação de carros que possui, mas Vaqueirinho repassa uma nova lista de carros que os interessa.
- “Tô precisando de uma Amarok preta, uma Picape Estrada e de um Corolla. E uma Picape Nissan, se for preta também", diz Vaqueirinho ao comparsa.
Depois dessa conversa, “Vaqueirinho” liga para o “Tripa” e dá os comandos do roubo para o carro que ele quer.
-“Tem que fazer, 'pô', uma equipe de três em três, entendeu? Escute só, caminhonete Hilux... Amarok e L200, entendeu? Essas três aí, é só pegar. Pega de todo jeito. Arruma de 2011 acima", orienta.
Em outra ligação, “Tripa” entra em contato com "Pedro", convidando o colega para participar do esquema que envolve o roubo de um estabelecimento comercial. Na conversa, ele dá detalhes de como pretende executar o crime.

- “Aí o cara chega lá pra botar o currículo, entendeu? É, você chega lá tapeando lá, que nem eu cheguei lá. Tem quue ser um cara de presença, 'tá' ligado não? Ou eu, ou você, senão o David, entendeu? Mete uma 'bequinha', 'pá', e diz: Não... 'pá', 'tô' precisando de um trabbalho, 'pá'. Aí tem essa daí pra gente, 'bora'?", convida Tripa.
Pedro, o comparsa, parece empolgado. "Aí, no caso, quando o cara for entregar o currículo, quando ela mandar é onde vai dar tudo!".
Em outra ligação, Pedro liga para um homem identificado como Sidney e pede que ele guarde um veículo, provavelmente, roubado.

- “'Tô' com uma moto aqui de 1000 cilindradas. Quero só um canto pra guardá-la. Faz esses 'corre' pra gente guardar essa bicha", pede.
Sidney demonstra apreensão. "Tem rastreador..."
"Tem não, menino, tem não. Nem alarme tem", Sidney tenta tranquilizá-lo.
Na manhã desta terça-feira (1), as polícias civil e militar realizaram uma operação em Maceió e em Rio Largo por causa do aumento do número de casos de roubo de carros e a estabelecimentos comerciais e residências. Segundo a Secretaria de Defesa Social, as escutas telefônicas ajudaram nas investigações, que duraram dois meses. Durante a operação, 13 pessoas foram presas e um adolescente apreendido, entre elas o "Tripa" e o Pedro.
“Temos feito várias varreduras e revistas constantes na tentativa de encontrar celulares nos presídios, mas isso é um mal que atinge todo o Brasil. Vamos adquirir um novo equipamento eletrônico e portátil que deve ser adquirido ainda este ano e deve ajudar nas varreduras do Sistema Prisional. Mesmo que o aparelho celular não seja encontrado, ele é bloqueado e não poderá mais ser utilizado”, afirma o secretário de Defesa Social, Dário César.

A assessoria de comunicação da Superintendência Geral de Administração Penitenciária informou que não recebeu nada oficialmente e, por isso, não pode se pronunciar. Só quando receber informações oficiais sobre essas escutas telefônicas é que será tomada alguma atitude.

Nenhum comentário:

Postar um comentário