sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

AGENTE PRISIONAL É MANTIDO COMO REFÉM,REBELIÃO JÁ DURA 16 HORAS.

Rebelião de presos “por mais remédios” já dura 16 horas; um agente é mantido como refém.

Por Felipe Ribeiro e Antônio Nascimento

A rebelião no Complexo Médico-Penal (CMP) do Paraná, em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, já dura mais de 16 horas e na manhã desta sexta-feira (27) um agente penitenciário continua sendo mantido refém. De acordo com o sargento Nascimento, da Polícia Militar, o outro agente que era mantido como refém foi liberado por volta das 4h da madrugada.
A principal reivindicação dos 130 presos rebelados no complexo, segundo o sargento, são remédios. “A maioria dos detidos aqui possuí alguma enfermidade, então a negociação se dá no sentido em que eles consigam os medicamentos que precisam”, disse.
O CMP é um estabelecimento penal de regime fechado, destinado tanto a mulheres quanto a homens, condenados por medida de segurança e que necessitam de tratamento psiquiátrico e ambulatorial. Os presos que iniciaram a confusão são membros do Primeiro Comando da Capital (PCC).
Três rebeliões em um dia
Ontem, outros dois princípios de rebelião aconteceram em Curitiba. No início da tarde, cerca de 10 detentos do 12° Distrito da capital se rebelaram, mas o movimento foi rapidamente contido pelos policiais. Uma terceira rebelião ainda foi registrada no 9° Distrito Policial, no bairro Vila Izabel, no final da tarde de hoje. O local abriga 28 presos em um espaço para quatro pessoas e o calor desta tarde fez com que os detidos pedissem que fossem retirados do espaço e transferidos para outras unidades. O Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), da Polícia Civil, foi acionado e controlou o tumulto.

Agente penitenciário é mantido refém em complexo médico penal em Pinhais (PR)

Outro funcionário foi liberado durante a madrugada. Rebelião começou às 15h30 de quinta.
Ouvir
Tamanho de fonte  
 Atualizado em sexta-feira, 27 de dezembro de 2013 - 08h40

Agente é mantido refém por presos em Curitiba

Outro funcionário da unidade foi libertado durante a madrugada
Um agente penitenciário permanece como refém desde às 15h desta quinta-feira, dia 26, no Complexo Médico-Penal de Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Outro funcionário da unidade foi libertado durante a madrugada. Os presos que iniciaram o motim pedem transferência para outro local.

Segundo informações da Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (Seju), o motim começou após dois presos renderem os agentes por volta das 15h. Eles estouraram os cadeados de algumas celas e soltaram aproximadamente 130 presos de uma das galerias.

No Complexo Médico-Penal de Pinhais, estão os presos provisórios e condenados que necessitam de tratamento psiquiátrico e ambulatorial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário