terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Delegado Mauro Cezar - Questão do porte de arma dos Agentes Prisionais!!

12 comentários:

  1. PESSOAL, como eu também fui vitima da própria PM sobre porte de armas, minha opinião, não sei se jogamos pro lado da segurança ou pro lado do marginal, pois, é muito fácil o estado te fornecer um porte de armas, nós Agentes tentarmos combater o crime dentro dos presídios e por outro lado ter de correr das próprias policias, pois eles estão na captura de prender os Agentes portando armas legalizadas.. Conclusão: o marginal, o crime tem força !!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Entendo sua indignação irmão, mas não justifica debandarmos para "o lafo do marginal".... Infelizmente, existem alguns "puliça" que, não sei se por dor de cotovelo ou vaidade besta, sacaneiam Agentes Penitenciários em abordagens. É óbvio que não são todos, é algumas bostinhas da PM e da Civil que se acham melhores do que nós Agentes e que, utilizam-se da única forma que possuem para nos prejudicar, que é esta questão do porte de armas. Vai um bizu para todos os ASP'ens do nosso País: Andem na legalidade. Enquanto nosso porte não sair de fato e de direito, não se sujeitem a estes imbecis que querem aparecer as nossas custas. Na minha opinião, Delegada que autua Agente no porte ilegal ou PM que dá voz de prisão para nós nestas condições, não passam de lixos travestidos de SEGURANÇA PÚBLICA, que na hora de prender bandido realmente, cagam nas calças e chamam pela mamãe. São uns frustrados porque lá no fundo sabem que nossa classe é verdadeiramente sangue no olho e todo dia mata um leão pra ter a missão cumprida.
    Abraços fraternos meus irmãos.

    ResponderExcluir
  3. Tem que prender esse IDIOTA mesmo.
    Se não tem o porte, não tem e PRONTO.

    O agente penitenciário deve aprender a correr atrás de seus direitos e tentar da forma legal, adquirir o porte.

    Mas o facto é; agente penitenciário NÃO TEM PORTE.
    Agente penitenciário NÃO É POLÍCIA.
    Agente penitenciário armado fora de serviço É BANDIDO.

    E PRONTO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdadeiras suas afirmações Antonio, só não entendi uma delas ''Agente penitenciário NÃO É POLÍCIA.'' Parece muito fora do contexto, uma vez que apesar de ter um projeto na câmara em andamento no qual o agente passará a se chamar Polícia Penal, ninguém citou nessa postagem tal ideia, ''cada macaco no seu galho''. Agora, se essa sua afirmação é devido os agentes aspirarem o porte, ela é bem equivocada, pois o porte não é concedido somente para policiais civis e militares, acho quem nem é preciso citar o tanto de profissional que não se enquadram em tal situação e gozam do porte.

      Excluir
    2. O lero-lero quero vê você entrar em uma cela e fazer cumpri a lei pra quem ta fora e fácil fala, pergunta pros pm e pc antigos oque e uma cadeia eles sabem oque e porque já tiraram serviço la nos não estamos querendo ser policia e nem ter o direito de policia mas sim ter o direito a defesa nossa e de nossos familiares ou vc acha que fácil andar desarmado e mexer com vagabundo alias a pm a pc anda armada fora de serviço não porque são pm 24 mas sim para se defenderem afinal o bandido não anda desarmado....

      Excluir
    3. Este anônimo aí de 10 dez 16:22, ou vc é "puliça" ou vc é bandido.... De qualquer forma, creio que vc não passa de um fiote de chocadeira....kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  4. Anônimo 10 de dezembro de 2013 16:22

    vai tomar no cu seu filho da puta, seu desgraçado invejoso do inferno, mostre a cara se tu é homem seu viado do demônio bandido vendedor de droga seu corrupto maldito.

    ResponderExcluir
  5. Na verdade a vaidade fala mais alto,por muitos anos esta atividade policial(quer queiram ou não ela instituida pelo Estado que é quem delega este poder de polícia as suas instuições policiais E NÃO AS POLICIAS SEJA MILITAR OU CIVIL,sendo tbm exercidas pelos agentes como AGENTES PÚBLICOS QUE DE FATO SÃO !) Foi exercidas pelas polícias civil e militar o problema e que muitos não entendem ou nao querem entender que as coisas mudaram que ja nao conseguem combater o crime a muito tempo! E todo aquele que se destaca fazendo o que muitos não querem mais deveriam e visto como ameaça! Com receio de perderam aquilo que eles mesmos ja nao tem por inconpetencia propria Que e respeito proprio e da sociedade! Que não confia na polícia sem identidade e sem amor pelo que faz!! Nos agentes estamos pra somar nao podemos e não aceitar sermos tratados desta forma temos sim a nossa importancia e EXIGIMOS RESPEITO!!

    ResponderExcluir
  6. lamentável,simplesmente.
    tantos bandidos soltos nas ruas e as policias estão atrasando a vida dos cidadãos de bem.
    isso é Brasil meus amigos.
    porém amigos enquanto não conseguimos o porte,o negocio é não da margem pra esses que
    se acham melhores que nós.e por enquanto tentar o porte junto a pf.

    ResponderExcluir
  7. Esperar nosso porte federal sair e parar de se humilhar!!!

    ResponderExcluir
  8. Aos colegas que mesmo sem ter o porte via LEGAL, se "acham" no direito de portar uma arma;


    O porte de armas;
    - NÃO EXISTE MEIO PORTE.
    - OU VOCÊ TEM OU NÃO TEM.


    O mais,
    Boa sorte para todos nós na ALMG.
    Vamos comparecer em massa.

    ResponderExcluir
  9. Agente Penitenciário é um dos cargos que compõem a Polícia Civil dos Estados, ao lado do Delegado, Perito Legista, Perito Criminal, Papiloscopista, Agente de Polícia e Escrivão, como assim traz o Ministério da Justiça. Entre suas atribuições estão: manter e vigiar os detentos nas unidades prisionais, escoltá-los em hospital, velório, IML, audiências judiciais, além de revistar celas, materiais e visitantes, dentre outras.
    No Brasil, são mais de 65 mil Agentes Penitenciários, para vigiar e controlar cerca de 500 mil detentos, que se encontram em pouco mais de 300 mil vagas disponíveis nas unidades prisionais brasileiras, caracterizando, assim, a superlotação delas. O correto, segundo o Conselho Nacional de Políticas Criminais e Penitenciárias, que haja um AGPEN para 05 detentos, como medida de segurança. Sendo assim, deveríamos ter, no mínimo, 100 mil Agentes Penitenciários no Brasil.
    A profissão é uma das mais antigas da humanidade, que no passado levava o nome de Carcereiro, e também a 2ª mais perigosa do mundo, conforme elencou a Organização Internacional do Trabalho - OIT. Para exercer o cargo, é necessário prestar concurso público, e se tornar, então, servidor público policial estadual.
    O Supremo Tribunal Federal reconheceu o direito de o Agente Penitenciário se aposentar com 25 anos de atividade, com fundamento no art. 40, § 4º da Constituição e no art. 57 da Lei nº 8213/91, que dispõe sobre o plano de benefícios da previdência social. É um dos poucos cargos onde incidem periculosidade e insalubridade ao mesmo tempo.
    Seu exercício é considerado como serviço essencial, pela Lei das Greves nº 7.783/89 (que regulamenta o art. 9º da CF/88), por se tratar de uma necessidade inadiável da comunidade, que, se não atendida, coloca em perigo iminente a sobrevivência, a saúde ou a segurança da população. É tido como atividade de segurança pública nacional conforme o art. 3º, IV, da Lei Federal nº 11.473/2007, e, visto o art. 144 da CF, é exercida para a preservação da ordem pública e a incolumidade das pessoas e do patrimônio.

    ResponderExcluir