segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Policial mata ladrões durante tentativa de roubo a ônibus em BH.


Sargento estava fardado e a caminho do trabalho; uma passageira também morreu ao ser atingida na cabeça.

PUBLICADO EM 16/12/13 - 06h01
Dois homens foram baleados e mortos, na madrugada desta segunda-feira (16), durante um assalto a um ônibus no bairro Ribeiro de Abreu, na região Nordeste de Belo Horizonte, na altura do quilômetro 13 da MG-020. Dentro do veículo estava um policial militar fardado, que atirou contra os suspeitos. Uma passageira também foi baleada na cabeça e acabou morrendo no Hospital João XXIII. Ainda não se sabe se a arma que atingiu a mulher partiu da arma do policial ou de um dos criminosos.

Segundo a Polícia Militar, Maciel Candido Rosa, 19, e Cleiton dos Santos Silva, 21, entraram no ônibus da linha 4156 - Vila Olga com uma arma cada um, sendo uma de brinquedo e a outra, um revólver real de calibre 32. Eles anunciaram o assalto e começaram a recolher pertences e dinheiros dos passageiros.
Como o ônibus estava cheio e havia muitas pessoas em pé, a dupla não percebeu a presença de um sargento do 22° Batalhão da Polícia Militar sentado em uma das cadeiras do fundo do coletivo. Os suspeitos entraram pela porta da frente e só viram o militar quando foram surpreendidos por ele. Quando percebeu o assalto, o sargento se escondeu abaixando-se na escada traseira do ônibus com a arma em punho. Desta forma, ele atirou em Maciel e em Cleiton. Um deles, no entanto, conseguiu correr mesmo baleado até chegar a porta da frente do coletivo. Os dois morreram no ônibus.
Uma mulher de 46 anos, Maria Helena Marques Camilo, que estava sentada na parte da frente, perto do motorista, também foi atingida por um tiro na cabeça. Ainda não se sabe se a bala partiu da arma do policial ou da arma de um dos assaltantes. Um dos passageiros, um ferroviário de 31 anos, contou que embarcou no coletivo no mesmo ponto que a dupla, e viu quando um dos suspeitos baleados correu para a parte da frente do ônibus. "Pode ser que ele tenha atirado na mulher no meio do desespero dele por estar ferido gravemente", disse.
No entanto, como a bala atravessou o corpo do suspeito, é possível também que ela tenha atingido a mulher posteriormente. Apenas a perícia da Polícia Civil irá dizer de qual arma saiu a bala que matou a mulher. Além disso, no revólver usado no assalto, haviam três balas picotadas - que não saíram da arma por algum problema - e uma bala que saiu do revólver ao ser disparado.O ferroviário também contou que o marido de Maria Helena estava em uma cadeira na frente dela quando ela foi atingida, e ficou desesperado.
Testemunhas contaram que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) demorou uma hora para chegar ao local e socorrer a vítima, e mais 40 minutos para ela ser resgatada de helicóptero e levada ao hospital, onde não resistiu ao ferimento e acabou morrendo.
A arma do sargento foi apreendida.
Atualizada às 11h12

Nenhum comentário:

Postar um comentário