sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

NOTÍCIAS DO GOVERNO DE MINAS GERAIS.


Anastasia deve se afastar em março para se candidatar ao Senado, diz Aécio

A possibilidade é 'concreta', disse o presidente nacional do PSDB, após almoço com o governador de Minas e o vice; partido ainda não definiu candidato ao governo no Estado


Marcelo Portela - O Estado de S. Paulo
Belo Horizonte - Presidente do PSDB e provável candidato à presidência, o senador Aécio Neves disse nesta quinta-feira, 9, que "há uma possibilidade concreta" de afastamento do governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, até o final de março para se candidatar ao Senado. O tucano, no entanto, não confirmou quem seria o candidato do partido ao governo do Estado.
Aécio almoçou com Anastasia e o vice-governador Alberto Pinto Coelho (PP) na sede do governo e afirmou que essa é a discussão "mais objetiva" em torno da sucessão estadual. "Estamos discutindo a permanência ou não do governador Anastasia até o fim do mandato. Não há uma definição tomada, mas há uma possibilidade concreta de afastamento do governador Anastasia no fim de março", disse, após o almoço.
"Confirmando-se essa possibilidade, que eu diria que caminha para a maior probabilidade, o vice-governador assume o mandato", acrescentou.
Coelho foi um dos nomes cogitados para disputar a sucessão ao governo de Minas, ao lado de tucanos como os deputados federais Marcus Pestana e Narcio Rodrigues. Aécio, no entanto, adiantou que há um "consenso" entre os aliados no Estado - a aliança em torno da eleição de Anastasia foi composta por 12 legendas - "de que o candidato a governador deve ser do PSDB". O nome preferido do senador, que precisa de um palanque forte no Estado para sua provável candidatura presidencial, é o do ex-ministro Pimenta da Veiga.
PSB. Sobre as articulações para a formação da aliança em Minas, Aécio defendeu uma espécie de "armistício" com o PSB do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que também já adiantou a intenção de participar da corrida presidencial em outubro.
Em Minas, o PSB integra a base do governo tucano desde a primeira eleição de Aécio para o governo, em 2002, e rachou com o PT para se coligar ao PSDB na reeleição do prefeito de Belo Horizonte, o socialista Marcio Lacerda, no ano passado.
Mas a direção do PSB mineiro já divulgou a intenção de lançar candidato ao governo mineiro para garantir palanque a Campos no segundo maior colégio eleitoral do País. "O PSB governa conosco. No que depender da minha vontade, da minha ação, o PSB deverá continuar conosco e acho que há espaço para isso. Mas é uma decisão do PSB", declarou Aécio, que confirmou a possibilidade de o PSDB apoiar um candidato do PSB em Pernambuco. "Não é impossível que isso ocorra, independentemente de isso ser uma moeda de troca. São as circunstâncias locais", concluiu o senador. 
FONTE:

B-GHXHQ
Tempo. Na primeira agenda em Minas em 2014, Aécio visitou obra em Confins e almoçou com Anastasia
PUBLICADO EM 10/01/14 - 04h00
O senador e presidenciável Aécio Neves (PSDB) praticamente descartou ontem a possibilidade de referendar uma candidatura ao governo de Minas de um nome do PSB, especialmente, o do prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda. O tucano afirmou que existe um “consenso crescente” de que o cabeça de chapa no Estado será do PSDB. No momento, dois nomes são cotados: o do presidente do partido em Minas, deputado federal Marcus Pestana, e o do ex-ministro Pimenta da Veiga.
 

VEJA TAMBÉM


Apesar da ênfase, Aécio fez a defesa de que o PSB continue ao lado dos tucanos no contexto estadual e ressaltou a afinidade de “mais de 30 anos” com o dirigente nacional socialista e também presidenciável Eduardo Campos.
“Não acho que seja incompatível uma candidatura (nacional) do PSB com o apoio do PSB aqui à candidatura do PSDB a governador. Como não é também impossível que isso ocorra em Pernambuco”, afirmou o senador sem cogitar o contrário, ou seja, o PSDB apoiar uma postulação socialista em Minas.
A possibilidade de Lacerda sair para governador com apoio de Aécio havia ganhado fôlego após a entrada do PSDB no governo pernambucano. Porém, como dirigentes tucanos relataram à reportagem nesta semana, o prefeito reafirmou recentemente o desinteresse em se candidatar.
Sobre o futuro do governador de Minas, Antonio Anastasia (PSDB), o senador admitiu que a “maior probabilidade” é que ele renuncie no fim de março. Assim, o governo passaria a ser comandado pelo atual vice, Alberto Pinto Coelho (PP). Ele não confirmou, entretanto, que Anastasia vá disputar uma cadeira no Senado.
Ainda na entrevista, concedida na Cidade Administrativa, Aécio disse que, hoje, sua candidatura à Presidência é uma “possibilidade concreta” e que a definição do PSDB deve ocorrer em março.
Questionado sobre a posição do ex-governador de São Paulo José Serra, ele disse que ficaria “extremamente satisfeito” caso o paulista se dedique à sua provável candidatura na mesma proporção com que ele se dedicou à campanha presidencial do colega, em 2010. Na ocasião, Aécio foi acusado de fazer “corpo mole” e se dedicar à disputa estadual.
“Não houve nenhum Estado em que ele teve tanta presença – com exceção de São Paulo, – como Minas Gerais. Essa é uma dessas lendas urbanas sem menor conexão com a realidade.”
Paralelo. Pela manhã, o presidenciável tucano visitou, com Anastasia, as obras viárias no entorno do Aeroporto Internacional de Confins e aproveitou o cenário para criticar o governo de sua provável adversária Dilma Rousseff (PT). O tucano chamou a atenção para o “contraponto” entre o “planejamento e a eficiência do governo do Estado” com “ineficiência e atraso” da União.
O “contraponto”, segundo ele, fica visível com a reforma e a duplicação dos trechos que irão criar um novo acesso ao terminal (de responsabilidade do governo de Minas), com as intervenções no aeroporto, que cabem ao Planalto. Somente em novembro o governo federal cedeu a execução das obras à iniciativa privada, o que deve inviabilizar sua conclusão antes da Copa do Mundo.
“Se não tivesse o governo do PT demonizado, por dez anos, as privatizações e concessões como fez, nós estaríamos aqui com um outro cenário. O aprendizado do governo federal tem custado caro para o Brasil.”
Determinação
Harmonia. Aécio definiu, em favor “dos interesses da aliança nacional”, que todos os arranjos estaduais do PSDB com vistas às eleições passem pela aprovação da direção nacional do partido.

Dilma começa a desenhar sua reforma
Brasília.
 Em reunião ontem no Palácio da Alvorada, a presidente Dilma Rousseff tratou da futura reforma ministerial com sua equipe. Ela disse ao vice-presidente Michel Temer, presidente licenciado do PMDB, que vai iniciar as conversas sobre a reforma com os partidos aliados na próxima semana, conforme relato de um interlocutor do peemedebista.

O PMDB reivindica o Ministério da Integração Nacional para o senador Vital do Rêgo Filho (PB), mas a pasta também é cobiçada pelo bloco PP-Pros e pelo PTB.

ELEIÇÕES

Pimenta da Veiga será o candidato do PSDB ao governo de Minas Gerais

Nome do candidato só será anunciado oficialmente no dia 20 de fevereiro, enquanto a decisão de Antonio Anastasia de deixar o governo para se candidatar a senador será sacramentada em março



POSSE PIMENTA DA VEIGA
Aécio escolhe Pimenta para governo e fecha com PP-MG
PUBLICADO EM 10/01/14 - 20h30
O ex-deputado Pimenta da Veiga será o candidato do PSDB ao governo de Minas Gerais, nas eleições deste ano. A escolha do nome do candidato foi decidida pelo presidente do partido, Aécio Neves, num arranjo que amarra o PP de Minas ao candidato tucano à Presidência. A vice na chapa de Pimenta será o deputado Dinis Pinheiro (PP), atual presidente da Assembleia. O PP é o terceiro maior partido da base aliada da presidente Dilma Rousseff. O governador Antonio Anastasia disputará o Senado.

Oficialmente, o nome do candidato a governador só será anunciado no dia 20 de fevereiro, enquanto a decisão de Anastasia de deixar o governo para se candidatar a senador será sacramentada em março. Na movimentação feita esta semana por Aécio, Pimenta da Veiga e o deputado Marcus Pestana deverão continuar a percorrer o Estado de Minas Gerais como pré-candidatos. Numa entrevista concedida nesta sexta-feira (10) em Minas, Aécio disse que o candidato ao governo ainda não está escolhido.
Não é isso, no entanto, o que ficou acertado nas várias reuniões que Aécio teve com os que vão integrar a chapa. Na segunda-feira (6), ele se reuniu durante a noite com o governador Anastasia, quando acertou a saída deste do governo e a candidatura ao Senado. Nos dias seguintes, Aécio esteve com Pimenta e com Pestana. Nos encontros, o candidato tucano à Presidência expôs a situação da política nacional e mineira. E exibiu os argumentos segundo os quais o melhor para o projeto do PSDB é a candidatura de Pimenta da Veiga.
Pimenta da Veiga se fez presente em Minas Gerais a partir do início do segundo semestre de 2013. Mais do que se apresentar à população, era preciso se mostrar aos políticos. Tem comparecido a todas as inaugurações de obras do governador Anastasia, frequenta cerimônias de batizado e esteve presente nas festas de fim de ano. Tornou-se, assim, o candidato ao governo do Estado numa disputa interna pouco acirrada, que contempla planos para agora e também para 2018.

Com Agência Estado 

Nenhum comentário:

Postar um comentário