domingo, 2 de fevereiro de 2014

AS ESCOLTAS AÉREAS PARA O SISTEMA PRISIONAL DE MINAS SERÁ UMA GRANDE ECONOMIA AOS COFRES PÚBLICOS DIMINUIRÁ A SOBRECARGA DOS AGENTES PENITENCIÁRIOS




Como já é uma rotina no sistema prisional de Minas Gerais os integrantes das escoltas de presos não receberem às diárias no mês de dezembro e início de janeiro em tempo hábil, às vezes, não são creditadas na conta do servidor, mas a resposta contínua da secretaria é que não tem dinheiro para pagar, de acordo transição anual de orçamento. Porém, as diligências devem ser manobradas, pois são ordens judiciais, transferências e outros. Em contrapartida, é válido lembrar que as despesas são tamanhas no bolso do servidor penitenciário, isto é um absurdo, ou seja, uma equipe de escoltas passa até quatro dias no trecho, assim, custear hotel, comida e outros anseios é muito difícil. A ideia de inserir o modelo de ESCOLTAS AÉREAS GETAP NO ESTADO DE MINAS GERAIS trará uma grande economia aos cofres públicos. Afim que,  os agentes terão agilidade no tempo e voltariam no mesmo dia para a origem com mais segurança. Em linhas gerais, as escoltas aéreas aliviaram as terrestres, com cerca de  milhares de quilômetros de estradas apenas nos deslocamentos terrestres principalmente entre Belo Horizonte, Montes Claros, Uberlândia, Juiz de Fora e os aeroportos da região. Em que se pense a intensa atividade operacional de escoltas nos voos, a ideia será um sucesso para os operadores da segurança pública prisional.

Aeroportos do Estado de Minas Gerais MG


BELO HORIZONTE
Aeroporto Carlos Prates
Abaeté
Alfenas
Almenara
Araçuaí
Araguari
Araxa
Baldim
Bambuí
Barão dos Cocais
Barbacena
Bocaiuva
Buritis
Campina Verde
Campo Belo
Campo do Meio
Campos Gerais
Capelinha
Caratinga
Caxambu
Conceição do Mato Dentro
Conceição das Alagoas
Conselheiro Lafaiete
Curvelo
Diamantina
Divinópolis
Formiga
Francisco Sá
Fronteira
Frutal
Governador Valadares
Guaxupé
Ipatinga
Itamarandiba
Ituiutaba
Iturama
Janaúba
Januária
Jequitinhonha

Juiz de Fora
Lajinha
Lavras 

Leopoldina
Machado
Minas Novas

Montalvânia
Monte Carmelo
Monte Santo de Minas
Montes Claros
Morada Nova de Minas
Muriaé
Nanuque
Ouro Fino
Pampulha
Pará de Minas
Paracatu
Paraguaçu
Passa Tempo 
Patos de Minas
Patrocínio
Pedra Azul
Pirapora
Piumhi
Poços de Caldas
Pompéu
Ponte Nova
Pouso Alegre
Prata
Rio Parnaíba
Sacramento
Salinas
Santa Maria do Suaçuí
Santo Antônio do Amparo
São João Nepomuceno
São José del Rei 
São Lourenço
São Sebastião do Paraíso
Serro
Taiobeiras
Teofilo Otoni
Três Corações
Três Marias
Três Pontas
Turmalina
Uba
Uberaba
Uberlândia
Unaí
Varginha
Várzea da Palma
Viçosa

FONTE: ALEXANDRE GUERREIRO PRESIDENTE DA AASPESEN-MG

2 comentários:

  1. aho que não é bem assim existe o campo pra dar indeferimento no documento a falta de conhecimento e criterio adminitrtivo permite que autorize a viagem mesmo,não havendo fundos pra cobrir as despesas dos agentes,mesmo assim eles se achsm na obrigação de viajar e acabam sujeitando a isso,e a esses ditos gestores

    ResponderExcluir
  2. aho que não é bem assim existe o campo pra dar indeferimento no documento a falta de conhecimento e criterio adminitrtivo permite que autorize a viagem mesmo,não havendo fundos pra cobrir as despesas dos agentes,mesmo assim eles se achsm na obrigação de viajar e acabam sujeitando a isso,e a esses ditos gestores

    ResponderExcluir