Eugênio Moraes/Hoje em Dia
dutra ladeira
Ladrões invadiram o paiol e retiraram armas do arsenal da penitenciária

O Governo de Minas Gerais anunciou reforço na segurança para recuperar o mais rápido possível as armas que foram roubadas da Central de Escoltas da Penitenciária Dutra Ladeira, em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte. O crime ocorreu durante a madrugada desta segunda-feira (24), mas só foi descoberto por volta das 7 horas da manhã.
 
De acordo com a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), o governador Antonio Anastasia determinou "às forças de segurança pública do Estado que dêem prioridade aos esforço para a prisão dos criminosos e a recuperação do armamento".
 
Seguindo a orientação do governador, a Polícia Civil (PC) montou uma força-tarefa especial integrada por policiais da Divisão Especializada de Operações Especiais (Deosp) para investigar o caso. Além disso, militares do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), Batalhão de Eventos, Canil e do 40ª Batalhão da Polícia Militar (PM) também participam de cerco nos principais acessos ao município de Ribeirão das Neves e nas estradas da região. Blitze foram montadas para tentar localizar os suspeitos.
 
O setor de Inteligência da Subsecretaria de Administração Prisional (SUAPI) contribui com as investigações e a Corregedoria da Secretaria de Estado de Defesa Social foi acionada para apurar possíveis desvios de condutas de funcionários.
 
O crime
 
Durante a troca de turno do galpão dos agentes penitenciários, o paiol, eles chegaram até o local encontraram alguns colegas dormindo e outros sentindo mal na manhã desta segunda. Ao fazerem uma verificação na sala de armas, detectaram que 39 pistolas de calibre 40 e seis submetralhadoras foram levadas. Entretanto, uma fonte informou que foram roubadas 50 pistolas calibre .40 e 40 fuzis.
 
A PM foi acionada para registrar a ocorrência. Já a perícia da Polícia Civil esteve no local para inspecionar os alimentos ingeridos pelos agentes. Eles ainda passaram por exames de sangue no Instituto Médico-Legal (IML) de Belo Horizonte para verificar se houve ingestão de alguma substância indevida.
 
Nove pessoas dopadas
 
Na Central de Escoltas ficam os agentes responsáveis pela realização de todas as escoltas programadas das unidades prisionais de Ribeirão das Neves. Segundo informações de policiais envolvidos na investigação, nove pessoas foram dopadas, sendo oito agentes e um gerente.
 
De acordo com o comandante da 2ª Região da PM, coronel José Amilton Campos, por volta das 21 horas de domingo (23), os agentes penitenciários foram jantar e alguns deles comeram a marmita preprarada dentro da penitenciária Dutra Ladeira e outros não. No entanto, um dos agentes preparou uma limonada e uma salada de frutas que foram servidos a todos que estavam no Complexo de Escoltas.
 
Atualizada às 16h40