quarta-feira, 25 de junho de 2014

Motim no Ceresp de Ipatinga deixa feridos

IPATINGA - Na madrugada desta quarta-feira (25), por volta das 4h30, nossa reportagem foi acionada por telefone por várias mulheres de diferentes números de telefones. Elas alegavam que uma rebelião estaria acontecendo no Ceresp de Ipatinga. As denúncias, ao mesmo instante, relatavam que diversos detentos entraram em confronto com os agentes penitenciários e que, inclusive, haveria relatos de troca de tiros dentro da unidade. Uma mulher informou por telefone que tem um parente detento e assegurou ter "contato direto". Segundo ela, "o parente assegurou que, por volta das 4h um preso da cela 7 arrombou a porta e passou a abrir os cadeados de outroas celas. Houve tumulto e um preso acabou agredindo outro, que foi socorridos por agentes penitencíarios", disse a mulher. As mulheres afirmaram veemente que uma forte movimentação estaria acontecendo e no intuito de apurar os fatos, nossa equipe de reportagem chegou ao local por volta das 6h. Nossa reportagem conversou com o diretor do Ceresp, Alexandre Rabello. De acordo com Rabello, dois detentos foram encaminhados para a Unidade de Pronto Atendimento de Ipatinga. “Somente dois feridos precisaram ser levados para a UPA. Um deles tentou jogar um cadeado num agente e o cadeado bateu na grade e voltou nele, e o outro foi atingido por um tiro de borracha”. O diretor conta que cerca de sete viaturas da PM compareceram ao local e confirmou que houve uma “movimentação” durante a madrugada, que teria sido iniciada após um detento tentar fugir de sua cela. O diretor disse que um detento da cela 11 tentou serrar uma das barras de ferros usando lâminas de retiradas de aparelhos para barbear. Ele disse que não foi necessário uso de força e não houve fuga. Rabello contou que acionou a PM, apenas para reforço, caso fosse necessário, mas como a situação estava sob controle, eles se retiraram e todos voltaram a sua rotina. Nossa reportagem deixou o local por volta das 8h e nesse período não constatamos presença de familiares de detentos ou de policiais militares.

2 comentários:

  1. Muitos comentão o que aconteceu, mas ninguém sabe o que realmente houve naquela madrugada do dia 25/06, presos tentara, fugir cerrando as grades das celas, quando tentaram escalar a muralha foram repreendidos pelos agentes que estavam nesse setor, Como não obtaram êxito na ação, começaram a quebrar os cadeados das demais celas, soltando os presos que vieram para o corredor do bloco, juntando quase 200 presos soltos, A intenção dos presos era pegar a cela de seguro, mas graças a ação de (08) agentes foram impedidos,, esses bravos 08 agentes conseguiram segurar os presos ate a chegada dos reforços. Foram feitos varios disparos de arma menos letal, e granadas de pimenta, luz e som e efeito moral, depois de quase 2 horas de batalha, os presos voltaram pouco a pouco para sua s celas. os cabeças foram transferidos. PAGARAM PRA VER E PERDERAM FEIO.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns aos nobres guerreiros que impediram a ação destes marginais... Ao invés de receberem nota de elogio, vão ter que fazer comunicados para se explicarem para os Estado... O Estado vinge de bobo, mas os agentes são guerreiros... Parabéns...

    ResponderExcluir