sábado, 30 de agosto de 2014



PROJETO DE LEI (PL) 4.170/13: RONAN RODRIGUES, PEÇA FUNDAMENTAL PARA ESSA CONQUISTA.


Ronan Rodrigues, presidente da União Mineira dos Agentes de Segurança Prisional do Estado de Minas Gerais – Unimasp-MG e integrante do Comitê de Campanha do candidato a deputado estadual, Márcio Santiago, após várias articulações junto a parlamentares e representantes dos agentes penitenciários, comemora a aprovação do Projeto de Lei (PL) 4.170/13.
O Projeto propõe alterações na Lei 18.185, de 2009, que trata da contratação por tempo determinado para atender à necessidade temporária de excepcional interesse público. Visa garantir a prorrogação dos contratos para além dos seis anos, enquanto não for realizado concurso e provimento dos cargos e assegura que seja computada, no concurso, a experiência dos agentes contratados em forma de pontuação extra.
Vale lembrar que foi Ronan Rodrigues quem deu origem a petição que culminou no PL 4.170/13. Ele defende a proposta de aumento do efetivo no Sistema sem a demissão dos contratados, mas, em entrevista, conta que teme represálias contra a categoria. Em vídeo gravado durante audiência pública, Ronan pede a mobilização de todos os agentes e afirma que não vai tolerar que a agentes penitenciários sejam denegridos.
A reunião contou com grande participação de público, além dos convidados: Marco Antônio Rebelo Romanelli, secretário de Estado de Defesa Social; Murilo Andrade de Oliveira, subsecretário de Estado de Defesa Social; Adeilton de Souza Rocha, presidente do Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária do Estado de Minas Gerais – SINDASP-MG; Renan Rodrigues, presidente da União Mineira dos Agentes de Segurança Prisional do Estado de Minas Gerais – Unimasp-MG.

Para mais informações acesse:http://www.almg.gov.br/acompanhe/noticias/arquivos/2014/08/19_seguranca_agentes_penitenciarios.html


MATÉRIA DO SITE DO ASP JUSCELINO MAKTUB

Um comentário:

  1. Nossa classe é fraca por causa de contrato, com essa "conquista" no classe sempre vai ser essa merda. Precisamos é de efetivos e não de contratados eternos. Agora estamos perdidos, pois se o contrato for estendido pra sempre o governo não abrirá concurso nunca mais..

    ResponderExcluir