segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Situação precária do sistema prisional
de AL facilita fugas, admite secretaria

Foram 21 ocorrências desde janeiro deste ano, mas nº de fugitivos é incerto.
Dados são da Secretaria de Estado da Ressocialização e Inclusão Social.

Do G1 AL
Presídio Baldomero Cavalcanti (Foto: Waldson Costa/G1)Presídio Baldomero Cavalcanti registra maior
(Foto: Waldson Costa/G1)
O sistema prisional de Alagoas contabiliza 21 fugas de presos desde janeiro deste ano, em apenas cinco delas houve recaptura dos fugitivos. A Secretaria de Estado da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) não sabe precisar quantos detentos escaparam nessas ocasiões, mas afirma que já houve anos em que esse número era maior. O motivo para tantas fugas, segundo o secretário Carlos Luna, é a precariedade das penitenciárias do estado.
“Hoje em dia, temos em média 3,4 mil detentos para 2,5 mil vagas, no sistema prisional. Dessas vagas, somente 950 são em unidades novas, o restante é dos prédios antigos que apresentam problemas estruturais", pontua o secretário. Entre os principais problemas apontados por Luna estão o baixo número de agentes penitenciários, a estrutura física precária e a superlotação nas unidades do sistema, que se agravou nos últimos meses.
De acordo com Secretaria, a construção de duas novas unidades no complexo prisional localizado no Tabuleiro do Martins pretende reduzir a superlotação e, com isso, as fugas. A unidade masculino, com 700 vagas, está prevista para ser entregue em março de 2015 e a feminina, com capacidade para 210 detentas, para dezembro deste ano.
Até lá, mantém-se o colapso nos presídios. O Presídio Baldomero Cavalcanti de Oliveira, emMaceió, é a unidade prisional que mais registra ocorrências fugas ou tentativas de fugas em todo o estado, segundo dados da secretaria.
G1 registrou a fuga mais recente no Baldomero. Na ocasião, 10 detentos conseguiram escapar pela rede de esgoto após serrarem as grades da cela. Os agentes notaram a ação e, com a ajuda da Polícia Militar, conseguiram intervir, impedindo que outros 12 presos escapassem da mesma maneira. Para tentar diminuir essa estatística, um dos módulos da unidade, com capacidade para 190 presos, está passando por reforma. A previsão é que as obras terminem até o final do ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário