quarta-feira, 25 de março de 2015

Quase 2.000 comprimidos somem da farmácia da Nelson Hungria


Suapi abriu um procedimento interno para apurar o caso e a Polícia Militar foi chamada para registrar um boletim de ocorrência

PUBLICADO EM 25/03/15 - 14h18

O sumiço de medicamentos dentro da farmácia da penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, mobiliza a Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi) nesta quarta-feira (25).

De acordo com a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), a direção-geral do complexo penitenciário constatou a falta de 100 comprimidos de Clonazepam (um tipo de sedativo tarja preta mais conhecido e comercializado no Brasil como Rivotril) e 1.800 comprimidos de Diclofenaco de Sódio (anti-inflamatório usado para tratar dores musculares, artrites e reumatismo, que pode ser vendido na forma do mais conhecido Voltaren).
A Suapi abriu um Procedimento Interno para apurar o caso e a Polícia Militar registrou um boletim de ocorrência. A Seds ainda não deu informações sobre as circunstâncias do sumiço dos medicamentos e os procedimentos de investigação que serão adotados, mas disse que uma equipe do Núcleo de Saúde do Sistema Prisional acompanha de perto as apurações. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário