segunda-feira, 6 de abril de 2015

Reunião com a cúpula da Segurança de Minas, SEDS,PCMG E SUAPI.

Direção do Sindpol/MG se reúne com cúpula do governo e da segurança pública e exige reorientação e imediata “troca das cadeiras" e atendimento de pauta da categoria em cronograma de curto, médio e longo prazo.


Na tarde da última quarta-feira, dia 1º de Abril, o presidente do sindicato Denilson Martins, o vice “Toninho Pipoco” e o inspetor José Maria Cachimbinho, se reuniram com o secretário de planejamento e gestão Dr. Helvécio Magalhães (responsável pelo planejamento financeiro do Governo e também pela articulação com o serviço público), e ainda, com o secretário Dr. Bernardo Santana, da Seds, seu adjunto Dr. Rodrigo, e também com o chefe da Polícia Civil Dr. Wanderson Gomes e o subsecretário Dr. Antônio de Padova, para tratar de assuntos específicos da pasta de segurança, pois, existem diversas reclamações por parte dos sindicatos.

Denilson Martins cobrou sobre a necessidade do atendimento da pauta reivindicatória enviada já há algum tempo e que era preciso pelo menos o Governo apresentar um cronograma de curto, médio e longo prazo de possível atendimento, pois, a base tem muita expectativa de mudanças pelo novo Governo. Disse ainda que, sabe dos desafios encontrados pelo governo com a herança maldita e do rombo financeiro deixado pelo Governo passado, mas, que em médio prazo podemos iniciar um processo vigoroso e virtuoso de benefícios para todos, e assim, prestarmos melhores serviços de segurança e cidadania para a população.
Em resposta ao pedido do secretário Helvécio Magalhães na última reunião, para que a polícia mostrasse mais serviço e motivássemos mais colegas na redução dos índices de criminalidade, para que assim o governo continuasse a cumprir os acordos financeiros e de valorização da categoria policial, o presidente afirmou que para isso acontecer com mais eficácia é preciso que a PMMG se dedique mais a prevenção delitiva e não usurpe das funções da Polícia Civil, como tem feito. “Só assim, com uma prevenção eficiente e eficaz teremos menos problemas de crimes pra resolver, tanto a PCMG quanto a SUAPI, podendo então nos dedicar mais a apuração dos milhares de crimes que não foram prevenidos”, afirma Denilson.
Soma-se a isso, o investimento em educação e políticas públicas associadas ao combate permanente ao tráfico e abuso das drogas. É preciso uma reorientação dos gestores, delegados, chefes de departamentos, regionais, inspetores e demais a respeito da linha política do novo governo, e ainda, de uma "troca geral das cadeiras de comando", pois, até hoje os policiais e trabalhadores da segurança estão constrangidos em trabalhar e se submeter à àqueles mesmos chefes que os perseguiram nas greves e prejudicaram todos que denunciaram os desmandos, que lutavam por mudanças no sistema. Chefes que se orientaram pelo modelo Tucano, que usaram da Polícia Civil para interesses políticos escusos e sucatearam da forma que ficou, e também, usaram o assédio moral e ameaças como instrumento de afirmação daquele modelo que quase extinguiu nossa instituição. Assim, milhares de sindicâncias e P.As foram abertos, transferências arbitrárias e perseguições foram perpetuadas sob essa ótica.

O presidente também falou do projeto do código de ética da Polícia Civil e da nova Lei Orgânica, que precisa ser adequada e regulamentada em muitos pontos, da Lei Orgânica dos agentes penitenciários que se encontra parada na ALMG e sem aquiescência e participação das categorias interessadas no assunto, do absurdo da pena de cassação da aposentadoria na Polícia Civil, o que não se pode mais admitir na administração pública, dentre outros assuntos em curto prazo.
O Sindpol/MG já apresentou a pauta contendo a reivindicação da equiparação com peritos e de delegados com defensores. Pois, não se pode abrir mão dessas premissas que foram negociadas em campanha com o Governo Pimentel, mas que, por sermos parceiros, entendemos o quadro atual do Estado deixado pelos Tucanos, assim, “não colocaremos a faca no pescoço" do Governo, mas que é preciso apresentar esse cronograma para a categoria, para sempre manter essa sintonia fina com o governador e companheiro Pimentel, para que essa prática de diálogo, transparência e respeito com os dirigentes sindicais da polícia e demais categorias, seja mantida.

Dr. Helvécio Magalhães ouviu atentamente e pediu aos dirigentes das pastas que tomassem as providências necessárias ali apontadas pelos dirigentes sindicais. E, após ouvir os posicionamentos dos secretários e titulares das pastas afins, deixou agendada nova reunião para avaliar os assuntos pontuados. A direção do Sindpol/MG avaliou a reunião como importante e decisiva para todos. Demonstrando um novo e eficiente modo de governar.
FONTE:http://www.sindpolmg.org.br/pagina/4175#.VSLt8ONdW0Y

MAIS:

SINDASP-MG e demais representantes sindicais da Segurança Pública se reúnem com Secretários da SEDS e SEPLAG

Na última quarta-feira (1), os Secretários de Defesa Social, Bernardo Santana, e de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, se reuniram com os sindicatos representantes das categorias responsáveis pela Segurança Pública do Estado para discutir as deliberações deste ano para o setor. Após o balanço orçamentário negativo, o governo alega que vai priorizar investimentos em alguns órgãos, dentre eles os da Segurança Pública.O SINDASP-MG esteve representado pelo seu Presidente, Adeilton Rocha, e pela Diretora Executiva, Anita Tocafundo.  Além do Secretário, a SEPLAG também esteve representada pela Chefe de Gabinete, Lígia Pereira. Já pela SEDS também participaram do encontro o Secretário Adjunto, Rodrigo de Melo Teixeira, o chefe da Polícia Civil, Wanderson Gomes, e o Subsecretário da SUAPI, Antônio de Pádova.
Durante o encontro, cada sindicato expôs as principais demandas de sua categoria. O Presidente do SINDASP-MG levantou a questão da continuidade do concurso de 2013 e também cobrou o aumento de vagas nas penitenciárias por meio de obras de ampliação e construção de novas unidades prisionais.

O Presidente alertou, novamente, as autoridades quanto à superlotação, o aumento da população carcerária e o déficit de Agentes: “precisamos de urgência na entrada dos Agentes do último concurso, lembrando que ainda não será suficiente para sanar o déficit de profissionais. Faço um alerta mais uma vez para os senhores: o Sistema Prisional está inflando”. Imediatamente, o Secretário Helvécio deu ordens para que Lígia tomasse providencias para a retomada urgente das etapas do concurso, enquanto Bernardo reforçou a necessidade ao Secretário Adjunto, Rodrigo.
Outra questão levada ao executivo, tanto por Adeilton quanto por Anita, foi a aprovação do projeto original da Lei Orgânica, elaborado pelo Sindicato junto à comissão representada por membros da categoria. Helvécio afirmou que o Projeto será estudado pelas duas Secretarias (SEPLAG e SEDS), junto ao SINDASP-MG para ser encaminhado novamente ao legislativo.

Em sequencia, os representantes do governo apresentaram suas pautas de ações. O Subsecretário da SUAPI levou ao conhecimento dos Sindicatos que, para este ano, estão garantidos orçamentos para obras de ampliação e construção de penitenciárias, para aquisição de novas viaturas e mais de 10 mil tornozeleiras eletrônicas.
A Diretora Anita cobrou um posicionamento do governo em relação ao pagamento do Prêmio Produtividade e as Nomeações dos Excedentes do Concurso de 2013 para Técnicos e Analistas da SEDS. O governo não deu nenhuma posição efetiva diante dos questionamentos. Uma nova reunião será agendada antes do dia 11 deste mês - data marcada para deflagração de greve dos servidores Técnicos e Administrativos do Sistema Prisional e Sócio-educativo - para deliberar o índice de reajuste para estes servidores.

FONTE:http://www.sindaspmg.org.br/index.php?pag=noti&id=203

4 comentários:

  1. E o governo se calou qd a diretora anita cobrou o PREMIO DE PRODUTIVIDADE, e continuidade do conc 2013...afff ta na hr da gente invadir la dia 11

    ResponderExcluir
  2. Até que fim alguém pronúncia sobre o concurso ASP 2013

    ResponderExcluir
  3. O que a subsecretaria fez nessa reunião não faz parte da segurança pública não está no artigo 144 da constituição kkkk pegadinha do malandro kkkk

    ResponderExcluir
  4. Galera que mundo vocês vivem, os excedentes do concurso só foram chamados por ser um ano eleitoral só pra ganhar votos , acreditar que vão chamar os excedentes do concurso 2013 e a mesmo coisa que acreditar em papai noel, saci perere e mula sem cabeça .....

    ResponderExcluir