quinta-feira, 6 de agosto de 2015

CONSEP APRESENTA REFORMA DA CADEIA PÚBLICA DA COMARCA DE CAPINÓPOLIS




CAPINÓPOLIS, TRIÂNGULO MINEIRO – O Ministério Público e o Conselho Comunitário de Segurança Pública de Capinópolis (MG) – CONSEP, apresentaram a reforma da cadeia pública da comarca de Capinópolis na tarde desta quarta-feira (05) de Agosto no Fórum Odovilho Alves Garcia.
A campanha para reforma da cadeia pública da comarca de Capinópolis foi de iniciativa em 2014 pelo juiz da Comarca, Dr. Thales Cazonato Corrêa, que, preocupado com a segurança pública de Capinópolis, reuniu-se com vários membros da sociedade.
O Consep geriu os recursos doados por pessoas físicas, comerciantes de Capinópolis e pessoas públicas.
Segundo o Juiz da Comarca, Dr. Thales Cazonato, o trabalho conjunto foi de grande importância – “Eu apenas dei o chute inicial e o Consep correu atrás da bola. O trabalho conjunto entre Poder Público, pessoas físicas e jurídicas e os reeducandos foi importante”, disse o juiz.
Os reeducandos “Fifi” e Maria Aparecida foram fundamentais no processo de reforma – “Fifi” trabalhou com o pedreiro na obra, garantindo economia.
“Eu tenho certeza de que todas estas doações, materiais, financeiras, ou materiais de construção, elas se refletem especificamente na condição humana de cada um dos seres humanos que estão na cadeia pública de Capinópolis”, disse a promotora de Justiça, dra. Maria Carolina.
“O índice de reincidência é muito grande – A sociedade fecha as portas para estas pessoas”, lembrou o promotor de Justiça, Daniel dos Santos Rodrigues, que salientou a importância da ressocialização do detentos.
A tesoureira do Consep, Maria Lenice, deu início à apresentação, tornando público os valores aplicados na obra. Jaisson Souza, vice-presidente do Consep exibiu imagens da reformas:
Reforma das celas 01, 02, 03 e 04 com reforço das paredes, laje e piso;
Banheiros novos em todas as celas;
Novo sistema hidráulico e elétrico;
Reforma do piso do pátio;
Reforma do piso da garagem e da rampa de acesso;
Substituição da caixa d´água de 1000 litros;
Instalação de tela de segurança do pátio;
Pintura da cadeia e identificação do prédio;
Instalação  de câmeras de monitoramento na cadeia e na delegacia;
Construção de uma sala para OAB e uma cela para albergados;
O delegado de Polícia, Dr. Rafael Faria, afirmou que ainda há melhorias a serem feitas, mas o trabalho já rendeu grandes resultados – “Confesso que ainda não atingimos cem por cento, mas a reforma foi relevante. Não é fácil a realização destas reformas, mas só faz quem tem força de vontade”, disse o delegado, que também ressaltou a importante parceria entre Poder Judiciário e a Polícia Civil.
O delegado regional, Dr. Carlos Antônio, pontou que os reeducandos devem ter condições dignas para cumprir suas penas – “[A reforma] É importante para os reeducandos que estão cumprindo suas penas, para que tenham uma condição mais digna para cumpri-las, da mesma forma, dando maiores condições para os agentes penitenciários que realizam a guarda. “, pontuou o delegado regional.
O 2º Tenente Rogério lembrou a fragilidade do sistema – “No sistema carcerário, podemos perceber que sua fragilidade afeta vários setores … Um sistema com estrutura auxilia na prevenção de diversos fatores, como a entrada de substâncias ilícitas”, disse o tenente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário