terça-feira, 8 de setembro de 2015

DEP. CABO JÚLIO SE MOBILIZA PARA OFICIALIZAR FORÇA TAREFA EM DEFESA DOS AGENTES DA SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO



A Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) aprovou requerimento que será enviado ao Secretário de Defesa Social, ao Procurador Geral de Justiça, ao Comando da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros e ao Chefe de Polícia Civil solicitando providências quanto a criação de uma Força Tarefa permanente e institucional voltada para investigar e combater a violência contra profissionais da área de segurança pública do Estado.

O Deputado CABO JÚLIO, vice-líder do Governo na ALMG aproveitou para acrescentar uma informação do Secretário de Defesa Social (Seds), Bernardo Santana, de que convidou para a Força Tarefa a inteligência da Polícia Federal e das Força Armadas para que as informações sejam trocadas entre as instituições. A iniciativa leva em consideração a ação de grupos de criminosos de outros Estados atuando em municípios que fazem divisa com Minas Gerais.

Outra sugestão do Deputado é que cada Região Integrada de Segurança Publica (Risp) tenha sua própria Força Tarefa - com o objetivo de se antecipar ao problema evitando baixas na área da segurança pública. ''Se nós agentes da segurança pública somos alvejados por criminosos, imagina o cidadão comum. Somos de um época que, quando alguém atacava algum colega nosso, o turno todo recolhia", disse

Segundo informações apresentadas durante audiência pública nesta terça-feira (08/09), de 2003 até hoje, 184 profissionais da segurança do Estado foram assassinados em serviço ou em razão dele.

A Polícia Militar, por meio do tenente-coronel Wanderlúcio Ferraz dos Santos, informou que a instituição criou em 2014 (Resolução 4346), o Grupo Especial de Resposta Imediata (Geri) - cujo propósito é apurar os casos de riscos e ameaças, além de auxiliar os profissionais vitimados.

Para o promotor de justiça Luis Gustavo Melo Beltrão, a solução dos crimes e ameaças contra policiais passa por uma maior aproximação das instituições ligadas à segurança pública, com designação de membros de todos os órgãos para acompanhar de perto cada caso. Enfatizando a importância desta união “com empenho e comprometimento de todos os envolvidos”, o representante do Ministério relembrou a investigação que identificou os criminosos da morte do Sd Charles, e da prisão dos criminosos que mataram o Sgt Fábio no bairro Gurtierrez em Belo Horizonte.


Um comentário:

  1. Esse sim tem meu voto de confiança. CB JÚLIO é caveira e já deixou isso claro. Tempos melhores virão.

    ResponderExcluir