quarta-feira, 9 de setembro de 2015

DETENTOS INTOXICADOS APÓS INCÊNDIO EM PRESÍDIO RECEBEM ALTA EM MG

Preso colocou fogo em colchões após ser transferido de cela em Barbacena. Secretaria de Estado de Defesa Social informou que caso será apurado.
Os detentos que precisaram de atendimento médico após o incêndio no presídio de Barbacena já receberam alta do Hospital Regional, segundo informações repassadas na manhã desta quarta-feira (9). A instituição não informou quantos detentos foram atendidos.
Um detento colocou fogo em colchões após ser transferido de cela. A fumaça chegou a outras celas e, segundo os Bombeiros, 62 detentos ficaram intoxicados.
O suspeito de ter causado o incêndio, segundo a Polícia Militar (PM), foi levado pela equipe de agentes penitenciários para a Delegacia de Polícia Civil para esclarecimentos. Segundo a assessoria, ele vai responder pelos crimes de dano ao patrimônio público, incêndio, ameaça e desacato.
Segundo a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), o detento foi transferido para o Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) de Juiz de Fora.

Fogo em colchões
Nesta terça-feira (8), um detento de 22 anos colocou fogo em um dos colchões da cela. O incêndio foi controlado pelos agentes penitenciários. De acordo com a PM, os presos foram contidos e o local foi liberado para entrada do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu).
Os presos de duas celas próximas foram levados para o pátio da unidade, onde receberam atendimento devido à aspiração da fumaça. Segundo a Seds, cinco detentos foram encaminhados para o Hospital Regional da cidade para observação. Todos passam bem e já se encontram detidos novamente no presídio.
A PM apurou que o incêndio foi causado por um detento de 22 anos que iniciou um pequeno tumulto por estar descontente com a mudança de cela. Antes do incêndio, ele disse aos agentes penitenciários que, assim que chegasse na cela nova, colocaria fogo em colchões.
De acordo com o Corpo de Bombeiros, o incêndio ocorreu na cela 4 e a fumaça atingiu as celas íntima e de números 3 e 5. Segundo os Bombeiros, 62 detentos foram intoxicados. Eles foram avaliados e atendidos pelo médico do Samu. Os que precisaram ser levados ao hospital foram escoltados pela PM e pela guarda penitenciária.
Os Bombeiros informaram ainda que três equipes foram enviadas ao local, na Rua General Câmara, no Centro. O incêndio foi debelado e foi feito o trabalho de rescaldo. A cela foi interditada.
A direção-geral da unidade instaurou um procedimento interno para apurar as circunstâncias do ocorrido e avaliar os danos ao patrimônio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário