quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Seap emite nota esclarecendo sobre demissões de agentes penitenciários em Leopoldina e região


João Gabriel B. Meneghite
Assessoria de Comunicação Social da Seap – Secretaria de Estado de Administração Prisional emitiu nota de esclarecimento, a pedido do jornal Leopoldinense, sobre a situação que envolveu a demissão de agentes penitenciários lotados em  Leopoldina, Cataguases, Muriaé, Eugenópolis e demais unidades do Estado.
 
Segundo informações não oficiais obtidas por nossa reportagem, cerca de cinco agentes foram demitidos em Leopoldina, dezenove em Cataguases e dezenas de outros servidores nas unidades prisionais de Muriaé e Eugenópolis, entre outras. 
 
A SEAP não informou um número exato de demitidos, mas esclareceu que o contingente de agentes de segurança prisional é composto por servidores efetivos e contratados. A contratação de agentes se deu de forma excepcional, a fim de atender ao interesse público, nos limites da lei. Com a nomeação e posse dos novos agentes penitenciários concursados, alguns contratos não serão renovados. Dessa forma, não haverá solução de continuidade na prestação dos serviços de competência da Seap.
 
Atualmente, cerca de setenta agentes penitenciários trabalham no presídio de Cataguases, que tem uma média de 200 acautelados. Já em Leopoldina, cinquenta agentes estão lotados para uma média de 120 presos.
 
Servidores cujas identidades manteremos em sigilo alegam que faltou planejamento do Estado, pois os concursados irão assumir um posto sem nenhum treinamento e experiência. Para eles, as demissões estão ocorrendo de forma equivocada e arriscada do ponto de vista estratégico que visa garantir uma segurança eficiente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário