A Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) apura se houve alguma irregularidade que acabou motivando um motim de detentos na Penitenciária Professor Ariosvaldo Campos Pires, nesta terça-feira (31), em Juiz de Fora, região da Zona da Mata Mineira.
Segundo a ocorrência, ao voltar para as celas após o banho de sol, presos de duas celas do pavilhão 3 contestaram as determinações do Grupo de Intervenção Rápida (GIR) para manter a ordem e iniciaram uma desordem generalizada. Presos que estavam em celas das galerias superior e inferior iniciaram incêndio em pedaços de colchões, que foram contidos.
A ocorrência detalha que houve intervenção com adentramento tático em todas as galerias, com uso de espargidores de pimenta, granadas de efeito moral, disparos de calibre 12 antimotim. O texto não cita se houve feridos.
De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap), durante a ação, alguns presos promoveram uma agitação, o que foi controlado pelo Grupo de Intervenção Rápida (GIR) da unidade. O registro do caso foi encaminhado para a Polícia Civil. A direção da unidade abriu uma investigação preliminar interna para apurar o caso.