terça-feira, 20 de junho de 2017

TV Globo rebate nota de repúdio da PM de SP por cena de racismo em 'Malhação

A novela recria, livremente, situações que podem ocorrer na vida real', diz um trecho do comunicado da emissora
A Polícia Militar de São Paulo demonstrou indignação com uma cena exibida em "Malhação - Viva a Diferença" no capítulo de terça-feira (30). Na trama, o casal Tina (Ana Hikari) e Anderson (Juan Paiva), que também já foi alvo de racismo na vida real, foi vítima de preconceito racial ao ser parado em uma blitz - depois de passar pela mesma experiência com a mãe da adolescente. Indignada, a PM soltou uma nota de repúdio contra a TV Globo em sua página no Facebook e a emissora se pronunciou sobre o caso ao ser procurada pelo Purepeople: "Como uma obra de ficção, 'Malhação' recria, livremente, situações que podem ocorrer na vida real, buscando apenas tecer o pano de fundo para suas histórias".
PUBLICIDADE

'A PM TEM COMPROMISSO DE DEFENDER A VIDA, A INTEGRIDADE FÍSICA E A DIGNIDADE DAS PESSOAS'

"Ao contrário da cena reportada, a Polícia Militar segue fielmente os princípios constitucionais e basilares do respeito aos Direitos Humanos, pautada na filosofia de Polícia Comunitária e com ênfase na Gestão pela Qualidade, com intuito de bem servir a sociedade e de atender a seus múltiplos anseios, com o compromisso de defender a vida, a integridade física e a dignidade das pessoas", diz a nota, assinada pelo Coronel Nivaldo Cesar Restivo, Comandante-Geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo. A nota aponta que a cena generalizou toda a instituição, distorceu a realidade e tentou "induzir o telespectador a criar uma concepção falsa de sua polícia".

DEPUTADO TAMBÉM SE PROCUNCIOU: 'VISÃO ABSURDA DA POLÍCIA'

Também os deputados federais Major Olimpio (SD) e Capitão Augusto (PR) se manifestaram contra a cena e a TV Globo em suas páginas no Facebook. O Major protocolou uma representação contra a emissora na Procuradoria Geral da República e no Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. "A Globo mais uma vez mostra seu preconceito e visão absurda da Polícia Militar e ofende toda a corporação e seus integrantes com uma cena ridícula em que simula Polícias Militares agindo com preconceito e em negociação de propina. É uma falta de respeito, quem idealizou a cena, e os que contracenaram, têm que ser responsabilizados, e a Rede Globo tem que se retratar desse absurdo", disse o deputado na rede social.

GLOBO NEGA TER SIDO NOTIFICADA

Procurada pelo Purepeople, a Globo esclareceu a cena na novela adolescente: "Não recebemos a representação citada, tomamos conhecimento apenas pela imprensa. A atual temporada de 'Malhação', chamada 'Viva a Diferença', se propõe exatamente a discutir as diferenças culturais, sociais, de opiniões, de raça, tão presentes no Brasil. A trama explora as dificuldades e as belezas da convivência de pessoas tão diferentes e fala sobre respeitar a opinião, a posição e a cultura do outro. A intenção é mostrar como a convivência entre diferentes tribos pode ser enriquecedora. Como uma obra de ficção, 'Malhação' recria, livremente, situações que podem ocorrer na vida real, buscando apenas tecer o pano de fundo para suas histórias."

CENA DA BLITZ QUE CAUSOU MAL-ESTAR NA PM

Na cena, Tina e Anderson estão passeando de moto quando são parados por uma blitz. O policial questiona o que o motoboy faz com uma menor de idade e não acredita que eles são namorados. "Pascoal, o negão está falando aqui que namora com a japinha", diz o PM. A garota acusa o policial de racismo, ao que ele retruca: "Ô Pascoal, isso aqui é desacato a autoridade, não é não? Bora levar eles para o DP, hein? O negão vai em cana direto se você não ficar quietinha, viu japa? Acho bom ligar para seu pai logo senão a coisa vai feder para você e seu namoradinho aqui." Ao final, o agente ainda insinua ao pai de Tina que pode "cuidar do garoto", mas Noboru (Carlos Takeshi) recusa.

PRECONCEITO COM KEYLA NA DELEGACIA

Esta não é a única cena de polêmica de "Malhação" com a entidade. No capítulo que vai ao ar na próxima sexta-feira (2), Keyla (Gabriela Medvedovski) vai sofrer preconceito na delegacia ao denunciar a perseguição que sofre do falso Deco. Os policiais a julgam por ter procurado o rapaz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário